19.10.09



SILÊNCIO
Para os que andam a vasculhar este blog em busca de uma frase irada ou de um lamento, direi apenas duas coisas: primeiro, a ira não convém a um académico, cuja profissão pede o predomínio da razão sobre a paixão; segundo, resulta vergonhoso para um universitário suscitar a compaixão dos seus pares com constantes jeremíadas.
Sobre o caminho percorrido ou o balanço do deve e haver de benfeitorias ou malfeitorias, é preferível o silêncio, seguindo o exemplo de Corneille quando lhe lembravam o seu defunto protector/ofensor Cardeal Richelieu:

Qu’on parle mal ou bien du fameux cardinal
Ma prose ni mes vers n’en diront jamais rien
Il m’a fait trop de bien pour en dire du mal,
Il m’a fait trop de mal pour en dire du bien
[Pierre Corneille, 1653]


Manuel Filipe Canaveira